jusbrasil.com.br
5 de Julho de 2022

Passageiros informados sobre cancelamento de passagem no embarque devem ser indenizados

Alô Consumidor
Publicado por Alô Consumidor
há 3 meses


A 123 Viagens e Turismo e a Gol Linhas Aéreas foram condenadas a indenizar dois passageiros que foram informados sobre o cancelamento das reservas no dia do embarque. A decisão é da juíza da 1ª Vara Cível de Águas Claras.

Consta no processo que os autores compraram a passagem para o trecho São Paulo – Brasília, em voo operado pela Gol, no site da agência de viagem. O embarque estava marcado para as 22h05 do dia 23 de fevereiro. Afirmam que não conseguiram realizar o check in com o localizador enviado pela agência no serviço de autoatendimento do aeroporto de Guarulhos.

Os autores relatam que foram ao balcão da companhia aérea, onde souberam que não estavam na lista de passageiros e que a reserva havia sido cancelada no dia 31 de janeiro com devolução do dinheiro. Contam que, como não conseguiram nem entrar em contato com a agência nem comprar uma nova passagem de avião, realizaram o trajeto de ônibus. Pedem para ser indenizados.

Em sua defesa, a 123 Viagens informou que os transtornos foram causados pela companhia aérea e que não pode ser responsabilizada. A Gol, por sua vez, afirma que foi a agência de viagem quem cancelou as reservas. As rés pedem que os pedidos sejam julgados improcedentes.

Ao julgar, a magistrada explicou que as duas rés participam da cadeia de consumo e respondem, de forma solidária, pelos danos causados aos consumidores. Para a juíza, ficou demonstrada a falha na prestação do serviço, uma vez que os passageiros não foram informados sobre o cancelamento do voo em tempo hábil.

No caso, segundo a julgadora, as rés devem ressarcir o valor pago pelas passagens não utilizadas e indenizar os consumidores pelos danos morais sofridos. “Assim, a perturbação do sossego e frustração vivenciada pela parte autora diante da prática equivocada das rés é fato que extrapolou os meros aborrecimentos e foram suficientes a afrontar sua dignidade”, registrou.

Dessa forma, a 123 Viagens e a Gol foram condenadas, de forma solidária, ao pagamento de R$ 6 mil, a título de danos morais, para cada um dos autores. As empresas terão ainda que pagar o valor de R$908,10 pelos danos materiais.

Cabe recurso da sentença.

Acesse o PJe1 e saiba mais sobre o processo: 0710298-46.2021.8.07.0020

(Fonte: TJ-DFT)


📚 Ver mais:

. Super Combo de Petições - O melhor custo benefício com mais de 30.000 modelos de Petições Profissionais.

. Guia Carro Livre de Imposto - Manual Completo para comprar veículo novo com isenção de impostos

. Revisão da Vida Toda - Tese Completa com Modelos de Petições

Informações relacionadas

Dr Tércio Neves Almeida, Advogado
Notíciashá 3 meses

Itaú-Unibanco é condenado por descontos em benefício previdenciário de idosa

Alexandre Santos, Estudante de Direito
Notíciashá 3 meses

Bolsonaro veta projeto da Lei Paulo Gustavo, que repassaria R$ 3,8 bilhões à Cultura

Hiromoto Advocacia, Advogado
Notíciashá 3 meses

Concessionárias de energia é condenada a indenizar consumidor que ficou sete dias sem energia

Alessandro Liberato, Advogado
Artigoshá 3 meses

Sou Viúva (o) Se Eu Casar Novamente Posso Perder a Pensão Por Morte?

Ricardo Kassin, Advogado
Notíciashá 5 meses

Agência de viagens online HURB, reembolsará consumidora, em danos morais e materiais

0 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)